quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Resgatando a essência

Há umas semanas um baiano - já desencarnado - perguntou onde estava minha essência. Eu não soube responder. Mas essa questão ficou quicando na minha cabeça e estou disposta e de coração aberto a reencontrar aquela garota que não tinha muitos medos e mandava todo mundo tomar no cú.

Comecei minha busca me enfiando em uma casa na Juréia com uma galera do trampo. É incrível como minha vida é cíclica e sempre que eu tento me resgatar, acabo parando em alguma praia com uma turma maluquinha. E é bom, muito bom. Acho que tem dedos mágicos da mãe d´agua nesse meio...hehe.

Até cambalhotas eu virei nessa viagem! Quer mais resgate da alma do que isso? Fiquei feliz, de pernas para o ar (literalmente), vivendo a minha vidinha ali naqueles momentos, com pessoas que entraram há pouco na minha vida.

E essa busca vai continuar. É um comprometimento meu com O CARA.

Só preciso aprender a me amar mais. To me sentindo muito 'argh'. Não sei bem como trabalhar isso, num mundo tão de aparências. Não haveriam cirurgias plásticas suficientes para me colocar no páreo do mercado da pegação...e nem sei mais se quero. Então, bora cuidar do coração, pq tenho fé que um dia vou encontrar alguém que vai me amar pelo que sou, mas pra isso preciso me amar primeiro.

Um comentário:

Anônimo disse...

a parte da cirurgia foi hilaria e o resto eu te entendo perfeitamente... a gente quer resgatar as vezes mas tbm tem lugares que nao se da pra voltar. ja tentei entrar pra esse mercado, e pra um duende sou ate bonitinho mas nao sei me comportar nesse meio... eu queria ser um pegador, mas eu nao sou.. e nao adianta insistir.. é isso ai. um dia, um dia, vai aparecer.. vamos cuidar do jardim por mais piegas que pareça ser... é o melhor a fazer. buenas!